terça-feira, 23 de abril de 2013

Desabafo Reprimido


A boca calada
E o estômago a gritar
A boca selada
E a cabeça a girar

O coração agitado
E os olhos a evitar
Os pensamentos presos
Impedidos de a te falar

Um leve sorriso
Tentando disfarçar

O que já não dá mais pra segurar
BeatrizNapoleão

quarta-feira, 10 de abril de 2013

Parto do Céu


Fez-se noite em pleno dia
Ocorre uma grade ventania
O céu carregado de nuvens
Brancas e leves eram outrora
Cinzas e pesadas são agora
Como uma mulher grávida ao dar a luz
Rompe a bolsa
O conteúdo dessa bolsa deságua sobre nós
Mas, ao contrário da mulher
Seus filhos tardarão a nascer
Porém, verdes irão crescer
E com a água desse parto
Rios ficarão fartos
BeatrizNapoleão

segunda-feira, 8 de abril de 2013

Alugo


Alugo meu sorriso.
Você poderá obtê-lo em minha casa, caso eu lhe convide, ou na sua, se convidada eu for. Pode ser no trabalho, cinema, restaurante, supermercado, ou em qualquer lugar.
Alugo no primeiro momento, pois se me deres o teu sorriso como pagamento, terás o bônus de minha gentileza.
BeatrizNapoleão

quarta-feira, 3 de abril de 2013

Sonhar

Sonhar em viajar
Viajar pra qualquer lugar
Lugar de concretizar
Aquilo que você sonhar

Sonhar o aparente impossível
Um lugar que seja tangível
Realizar no mais alto nível
Tudo que for possível
BeatrizNapoleão

terça-feira, 2 de abril de 2013

A confissão da leoa


"Ninguém mais do que eu amava as palavras. Ao mesmo tempo, porém, eu tinha medo da escrita, tinha medo de ser outra e, depois, não caber mais em mim."

"Escrever não é como caçar. É preciso muito mais coragem. Abrir o peito assim, expor-me sem arma, ser defesa..."

"Preferir não era um verbo feito para ela. Quem nunca aprendeu a querer como pode preferir?"

"Quero, sim, ausentar-me de mim. Dormir para não existir."

"Só as pequenas loucuras nos podem salvar da grande loucura.

"Quanto mais vazia a vida, mais ela é habitada por aqueles que já foram: os exilados, os loucos, os falecidos."

"Tem medo de si mesmo. Tem medo de ser caçado pelo animal que mora dentro de si."

"Do caçador desconfie, admitiu. Não porque o caçador seja mentiroso. Mas porque a caça tem a verdade de uma dança: corpos fugindo da sua própria realidade."

(A confissão da leoa - Mia Couto)