terça-feira, 19 de setembro de 2017

Espalhando Amor


Hoje, numa das lembranças do Facebook vi uma postagem que compartilhei em 2011, o clipe da música Like a Stone, da banda Audioslave. Cliquei para ouvir. Fiquei ouvindo e olhando o Chris Cornell* cantar com aquela sua voz maravilhosa, e fui tomada por uma melancolia. E quanto mais eu ouvia a música, mais eu me envolvia neste sentimento. Vontade de abraçá-lo, de dar carinho, de dizer que me importava com sua dor, mas, isso já é inútil.
Isso fez eu lembrar de uma missa de cura e libertação, que fui semana passada; quando cheguei vi uma moça (ladeada por uma senhora e um rapaz), gritando o mais alto que podia em repetidas vezes, "Vocês vão pro infeeeeeerno! Vocês todos vão pro inferno!". Seus acompanhantes a seguravam, porque além de gritar, ela tentava levantar da cadeira.
Aquela cena imediatamente provocou um aperto no meu coração. Minha sobrinha que estava comigo, comentou que ela estava possuída, que era comum levarem pessoas assim para essas missas, na tentativa de serem libertadas. Sentamos distante, ela ficou fora do nosso campo de visão, mas ouvíamos bem os seus gritos. Todos que estavam ali ouviam. Só sei que, ela estando possuída ou que fosse algum distúrbio psicológico, a minha vontade era de ir até ela, abraçá-la e dizer, "Eu me importo com a tua dor! Jesus te ama e pede para eu compartilhar meu amor contigo!". Ela intercalava os gritos entre momentos de silêncio, mas cada vez que voltava a gritar, vinha esse impulso em mim, de passar uma energia de amor para ela.
Eu me sentia levitando, invadida de amor, carinho e compaixão, e em pensamento a abraçava e falava, Jesus te ama, sinta este amor, Ele vai tirá-la desse inferno! Assim, como ela nos amaldiçoava repetidas vezes, repetidas vezes, com toda a leveza do meu ser eu a abençoava. Era um sentimento antagonista; tristeza pelo estado dela, e gratidão por sentir que, eu havia recebido uma overdose dose de amor que transbordava.
Não foi a primeira vez que me senti assim, tem sido cada vez mais frequente. Quanto mais eu busco esse Amor, mais sinto necessidade de compartilhá-lo e de deixar um pouco desta energia por onde passo.

* Chris Cornell, 52 anos - vocalista da banda Audioslave. Sofria de depressão. Suicidou-se em 18/05 deste.

- BeatrizNapoleão -

sexta-feira, 1 de setembro de 2017

Mãe das Palavras

Imagem: Google
Não! Não escrevo para te agradar, enganar ou te iludir
Muito menos para te ganhar ou perder
Nem mesmo para falar a verdade ou mentir
Às vezes, até pode ser para alguém me entender
Outras, para criar entretenimento
 Soltando o sentimento
Entretanto, há momentos que, escrevo porque as palavras me procuram
Sussurram em meus ouvidos, formando frases que clamam para existir
Da mesma forma que um espírito busca um útero que lhe dê um corpo
Algumas palavras me escolhem para formar um texto
Assim, são geradas nos meus ouvidos, 
Alimentadas e organizadas em minha mente 
E nascem pela minha mão
- BeatrizNapoleão -