segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

Confraternização 2010

Fortaleza,  14/12/10 
Caras Amigas,        
Mais um ano estamos aqui.
Quero agradecer a presença de cada uma.
Fico muito feliz em poder reuni-las. Esta é uma oportunidade de estar com as amigas que vejo constantemente e, principalmente as que raramente encontro.
Sempre falamos em nos vermos mais, marcar outros encontros no decorrer do ano.          
- Uma vez por mês!
- De dois em dois meses!
- Duas vezes no ano!
Vamos distanciando o tempo para que dê certo, e mesmo assim, eles nunca acontecem. Ficamos de agilizar e, nada.
Quem sabe nesse próximo ano!? Quem sabe!? Fim de ano temos tantos planos... e nos sentimos com tanta capacidade de realizá-los no ano seguinte!
Mas, o que mais importa é o que sentimos; é o prazer do encontro; o carinho; a troca de idéias. Tribos diferentes num encontro de alegria.
Brindemos à harmonia e a amizade!
Tim! Tim!
BeatrizNapoleão (Biá)                

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Droga Recomendada

Há músicas que agem em mim como uma droga. Não a de farmácia, mas, a ilegal. A vantagem é que esta: não é ilegal; não gasto um só centavo ouvindo as que tenho em casa; e não tem contra-indicação para nenhuma idade, portanto, não prejudica a saúde, muito pelo contrário, faz bem pra caramba!
Ouço com todo o corpo, não apenas com o ouvido. Mal começo a escutá-las inicia uma sensação de embriaguez moderada. O coração bate mais rápido e a circulação sanguínea acelera; a respiração fica mais forte; e é produzida uma grande quantidade de endorfina. Fico muito mais alegre. Fecho os olhos e sorrio curtindo a lombra.
As calmas, me dão leveza. Tenho a sensação de estar flutuando - mesmo com o sangue percorrendo numa velocidade supersônica. Talvez por isso mesmo, sinta tanta vontade de voar. 
As agitadas, me deixam elétrica. Creio que cada nota toca diretamente nos átomos, brincando com os elétrons e os prótons. É quase impossível ficar parada. 
Vez por outra, na intimidade de casa, gosto de selecionar as músicas de acordo com o que estou fazendo e do meu estado de espírito. Então, escuto uma por uma, deixando que eu seja carregada por essa energia que é liberada. Alguns momentos não resisto: posso estar lendo, escrevendo, trabalhando no que quer que seja, paro só para dançar. Saio dançando, tentando acompanhar o seu ritmo enquanto ela percorre por todo meu corpo. Tenho que aproveitar o momento, se deixar para depois, quem sabe a vontade passe!
É por isto que recomendo essa "droga". 
Como dizia Artur da Távola:  "Música é vida interior; e quem tem vida interior, jamais padecerá de solidão".
Beatriz Napoleão (01/12/2010)

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Princesa

Uma princesa não mendiga. Nem mesmo o amor de seu príncipe.
Beatriz Napoleão 

domingo, 28 de novembro de 2010

Balanço da Saia

Tem o balanço da rede
Tem o balanço do mar
Foi pelo balanço da saia,
Que fui me apaixonar

Balança menina sapeca
Balança pra lá e pra cá
E eu que fico só nessa,
De te admirar

Ninguém me avisou
Que eu não devia olhar,
Pois teu balanço enfeitiça,
E faz apaixonar

Balança moça balança
Balança pra lá e pra cá,
Que uma hora eu crio coragem,
e vou contigo falar

Balança, mulher cativeira
Balança pra lá e pra cá
Talvez um dia, quem sabe,
Eu vou contigo casar

Então terei teu balanço,
na rede comigo
De frente por mar
Na rede de frente pro mar
Beatriz Napoleão (04/07)

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Despedida

Quando vi o último suspiro de minha mãe, pensei: Acabou! Chorei e ainda choro, por saber que não a verei mais.
Sua ausência ainda machuca muito, mas não paro de agradecer a Deus pela vida que ela teve e, principalmente, por eu tê-la tido como mãe.
Se não teve sorte quando perdeu o pai um mês antes do seu nascimento, tirou a sorte grande ao casar com meu pai, Humberto Napoleão. Um homem que a amou muito e a fez muito feliz.
Que exemplo de mulher!
Leal, íntegra, discreta, personalidade forte. Mas, o que mais chamava atenção era sua paixão pela vida. Queria aproveitar cada momento. Adorava estar na companhia dos filhos, netos, bisnetos, genros e noras. Sabia valorizar as amizades. Cheia de vida, parecia que a idade jamais a atingiria.
Sempre estava lendo algum livro, ouvindo uma boa música - tinha um excelente gosto musical -, assistindo a um filme, jogando baralho ou gamão. Com isso, consecutivamente, tinha algo interessante para contar, tornando o papo agradável.
Até sua vaidade era positiva. Bonita por natureza, sua beleza natural parecia não ser o bastante. Estava sempre de brinco e batom, unhas feitas - normalmente pintadas de vermelho -, procurava sentar ereta, para não perder a elegância.
Ah! Mas o mais importante para mim foi o amor e a educação que recebi dela, e a união e harmonia familiar que ela manteve. Por isso sempre vou amá-la.
Adeus, minha amada mãe! Até quando chegar meu dia de encerrar minha missão aqui na Terra.
Sua filha,
Beatriz
(15/10/07)

Maria Pio Parente e Silva (Fortaleza, 21 de agosto de 1917 - Fortaleza, 10 de outubro de 2007)
Maria Pio Machado (nome de solteira)
Cônjuge: Humberto Napoleão Parente e Silva
Filha de João Pio Machado e Rosa Amélia Albuquerque
12 filhos (um faleceu com 2 meses)
26 netos
25 bisnetos 

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Meu ou Emprestado

O que escrevo são experiências do que vivi
Na minha própria pele
Ou, em roupas emprestadas,
Que passaram o cheiro, o suor ou as lágrimas
De outros para mim.
Beatriz Napoleão 

terça-feira, 23 de novembro de 2010

Loucura Desejada

Eu não quero um homem que me enlouqueça de raiva.
Quero um homem que me enlouqueça de amor.
Beatriz Napoleão (22/05/2010)

domingo, 21 de novembro de 2010

Saber Amar

Quando olhar o amor,
Reconheça-o!
Quando ele passar,
Siga-o!
Quando estiver ao seu lado,
Conquiste-o!
Quando estiver com você,
Conserve-o!
Beatriz Napoleão 

domingo, 14 de novembro de 2010

A Vida em Cinco Dias

Anteontem éramos crianças.
Ontem, nossas filhas.
Hoje pela manhã, tua neta.
Quem sabe à tarde, meus netos.
Com sorte, amanhã nossos bisnetos.
Depois de amanhã...
Não somos mais.
Beatriz Napoleão 

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Raízes ou Asas

Raízes ou asas?
O que prefiro?
Tenho mesmo que responder?
Tenho que escolher entre uma ou outra?
Não posso ficar com as duas?
Quero raízes porque necessito delas para viver.
Sou fruto de uma árvore e, sem raízes não terei de onde tirar alimento, não terei como conviver com os outros frutos que tanto amo, não terei como me manter sustentada.
Mas também, sou uma ave. Até posso viver sem minhas asas, mas, será uma crueldade esta mutilação. Sem elas, minha alegria vai junto.
Como necessito das raízes para viver, necessito das asas para ser feliz. Amo voar! Voar por muitos lugares, e em diversas alturas e velocidades.
Então, deixe que eu fique com as duas, para que possa percorrer por vários campos, viver aventuras saudáveis, sem desonrar minha árvore, e voltar para ela retomando minhas raízes.
Beatriz Napoleão 

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

O Que é Estar com 45 anos?

É ter nascido em 1959 e em 2004 ainda estar neste mundo.
É perceber que o corpo está mudando, o rosto ficando com marcas, o pique diminuindo, e saber que isto faz parte.
Contraditoriamente, se sentir como uma criança, ainda gostar de brincar, pular, correr, dar boas risadas de bobagens.
Mas, após brincar voltar a ser adulta, enfrentar os problemas - mesmo que fraqueje algumas vezes, saber dar a volta por cima.
É sentir que tem muito o que aprender e o que viver, e querer aprender e viver, ainda que tenha consciência que pode morrer a qualquer instante;
Buscar novas fontes de conhecimento;
Ter bons planos para a velhice;
Ser mais tolerante com a vida e, mais intolerante a certas atitudes, como: radicalismo, preconceito, falsidade, imposição...;
Valorizar mais ainda a família e os amigos;
Agradecer a Deus por ter chegado até aqui;
Amar a vida;
Se amar!
Beatriz Napoleão (agosto/2004)

sábado, 16 de outubro de 2010

Palavras Divinas

Sim, eu tenho poder para mover montanhas, abrir passagens no mar, inundar o mundo...
  
Posso causar tsunamis, terremotos, enviar furacões... Mas não é assim que ajo! Não me agrada optar pela força do castigo.
  
Não quero alguém fazendo ou deixando de fazer algo porque posso castigá-lo, por temer o inferno. Não percam tempo pensando ou falando do inferno. Esqueçam o inferno! Se não houver divulgação dele, ele vai perdendo o status e acabará no ostracismo.
  
Canalizem suas energias, pensamentos, palavras e ações para o amor. Se o amor imperar, como o inferno vai “sobreviver”? Quero a força do Amor!
  
O que faço é: unir famílias, amigos, raças, credos, nações; curar doenças, corações sem esperança; afastar o mal da humanidade. É aí que estou. Mas não faço nem farei nada que pareça uma mágica. Não sou ilusionista. Sou o Amor, o Alimento, a Esperança, sou a Vida! Concretizo-me neles. Vocês são um pouco de mim, fazem parte de mim. Eu sou o todo. Sou a união do Universo. Ajo através da natureza e de vocês, e espero que cada um faça algo para melhorar o mundo onde vivem. Quanto mais fizerem, mais benefícios terão. Posso não castigar, mas planejei um Universo interligado, onde tudo tem um retorno. Portanto, quem ferra, será ferrado.
  
Jesus veio à Terra para dar meu exemplo, divulgar meus Mandamentos, mostrar o que o Amor é capaz. Muitos aprendem o Livro inteiro, verbalizam este exemplo, mas pouco fazem na hora de agir, se preocupando mais em fiscalizar se o próximo está agindo de acordo com estes ensinamentos, do que com seus próprios atos. Ora, ora! Dêem o exemplo! Não foi assim que Cristo fez!? Esta é a melhor maneira de ensinar.
    
Não fiquem se punindo por suas falhas. Mas, não fechem os olhos tentando não enxergar seus erros, seus deslizes. Olhem para eles para evitar repetições.
  
Quero Amor! Mas, amor com “A” maiúsculo.
  
- Amor. Amor. Amor... Era a palavra que ecoava repetidamente quando acordei.
Beatriz Napoleão (13/10/10)

domingo, 10 de outubro de 2010

Fogo de Palha

Ao te encontrar,
Senti uma chama acender.
Mas não vi no teu olhar,
Faísca alguma aparecer.

Resolvi reafirmar,
Voltando os olhos para os teus.
Eles já não viam mais
Motivo de chama aquecer.
Beatriz Napoleão 

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Caminhos da Vida

Por onde andei?
Andei por muitos lugares.
Vi de tudo.
Ouvi o que queria e o que não queria.
Passei por lugares que nunca mais quero voltar.
Melhor se não tivesse estado lá.
Vi quem dizia ser amigo
E por trás se desfazia.
Isto é pouco perante o que vi!
Vi maldade com animais, por puro prazer.
Pais brigando com filhos.
Não a briga para ensinar o que é melhor,
Mas a briga que afasta, que destrói.
Irmãos que ignoravam o sangue que lhes corre nas veias.
Mãe que prejudicava um filho para obter algum benefício.
Ouvi palavras que caluniavam.
Fui apresentada a injustiça, a falsidade,
A decadência e a amargura.
Conheci a infelicidade.
Fiquei cara a cara com todas,
Mas não quis manter uma amizade.
Até tentei me aproximar da amargura.
Na ilusão de que se ela se unisse à alegria mudaria de lado.
Mas, foi inútil. O que estava em seus planos era me ter ali.
Elas tentam te envolver com uma teia
Onde quem domina é uma aranha venenosa.
Horrorizada passei por esses caminhos,
E não quero voltar.












Também passei por lugares lindos.
Agradáveis em todos os sentidos.
Com beleza e leveza.
Onde as pessoas procuravam facilitar a vida do outro,
Mesmo que fosse um desconhecido.
Vi gente se doando.
Doando dinheiro, sua palavra, seu sorriso, seu tempo.
Alguns dividindo o pouco que tinham.
Nestes lugares, vi a felicidade.
Minha amiga de sempre.
Com isso aprendi a ter mais cuidado
Com o caminho a tomar.
Mas, também sei que, por mais que tente evitar
Algumas vezes passarei por caminhos tortuosos.
Então, antes de seguir olharei por onde ir.
E  não tendo como impedir acidentes futuros,
Cada passo que eu der procurarei estar ao lado
Da amizade, humildade, solidariedade, harmonia, paz,
Compreensão, do carinho e principalmente do amor.
Assim, a felicidade fará questão de seguir comigo.
E quando passarmos por lugares que estiver a outra turma,
Se tentarem nos envolver,
Juntos passaremos sem maiores danos e,
Seremos fortes o suficiente
Para se necessário, construirmos outro caminho.
Beatriz Napoleão 

terça-feira, 21 de setembro de 2010

Segredos

Adoro segredos!
Sempre tive atração por eles. Desde criança.
Gosto de saber que aquilo é para ficar guardado, muito bem guardado.
Num mundo onde existem pessoas que aumentam, distorcem e até inventam sobre o outro, deve-se ser cauteloso com o que se fala.
Tenho tantos comigo, que fica impossível lembrar da maioria.
É tão prazeroso saber que aquela pessoa deposita toda confiança em você! E melhor ainda é saber que, após o desabafo ela ficou mais aliviada, ainda que, na maior parte das vezes nada possamos fazer.
Gosto de manter os antigos, mas também de ter novidades. Fiquei tão viciada neles, que chego a criar situações próprias para obter mais alguns.
Sim! Porque também tenho os meus. Tenho segredos que nem deveriam ser segredos. Mas é tão excitante não revelá-los! Tão bom guardar algo só para si. É divertido saber que ninguém mais sabe sobre aquilo, ou então contar a uma pessoa amiga e dizer: - Não conte a ninguém!
Ah! Que delícia essa cumplicidade! E confesso, que ficaria muito chateada se essa pessoa a quem confiei não soubesse guardá-lo só para si, pois não pedi para mantê-lo em sigilo!
E quando me contam algo dizendo que sou a única a saber e que não passe a frente, e vem outro amigo e me revela o que eu julgava ninguém mais saber, além do autor da história! E esse amigo me diz: - Estou falando só para você, ele me pediu segredo!
Vá entender o que os outros entendem por segredo.
Alguns gostam de usar uma frase que diz: "Se o dono do segredo não conseguiu guardá-lo, porque eu vou ter que ficar com ele?"
Essas pessoas não sabem apreciar o valor que eles têm.
Beatriz Napoleão (17/09/10)

quinta-feira, 16 de setembro de 2010

Aos Amigos

Amizade é um relacionamento perfeito!
Ao contrário de um namoro ou casamento, podemos ter quantos amigos conquistarmos, sem ter que deixar um para ficar com o outro.
Ficamos amigos de alguém por alguma identificação: música; filme; livros; praia; campo; maneira de ser em geral. É curioso, que alguns nos conquistam mesmo sem haver essa identificação inicial. Um sorriso, um bom humor é o suficiente, já nos sentimos atraídos.
Sabemos os nossos defeitos, mas os suportamos. É um afeto que vem e não sabe ir jamais.
Mudamos o estilo de vida, de cidade, o estado civil, amadurecemos, passamos anos sem ver ou mesmo falar um com o outro, mas o bem querer permanece intacto. É sempre prazeroso reencontrá-lo.
Também tem aqueles que estamos constantemente em contato e, quanto mais estamos juntos, mais viciados com suas presenças ficamos.
Amizade dá cor, som e sabor em nossa vida. Nos dá ombro e nos critica no momento certo.
Que nossas amizades se solidifiquem cada dia mais.
Que virem diamantes!
Obrigada, meus amigos!
Beatriz Napoleão (24/12/2009)

quinta-feira, 9 de setembro de 2010

Oração

Pai!
Dai paz ao meu coração.
Quero ser alguém que traz alegria, harmonia, compreensão e justiça.
Faça com que eu consiga suportar os defeitos insuportáveis dos meus semelhantes.
E que me esforce para diminuir os que tenho.
Que eu valorize as qualidades do próximo, 
Para que não tenha olhos a enfatizar o negativo e, 
Principalmente boca para passar adiante.
Que eu tenha paciência quando estiver a espera de um pedido a Vós
Que tanto custa ser atendido.
Mas enquanto isto, que eu faça por onde consegui-lo e, 
Saiba aproveitar a vida como se nada esperasse.
Que a maldade que existe em mim nunca consiga se libertar do cativeiro.
Mas que isto não me faça fraca, e sim, uma fortaleza.
Que na minha vida, nos altos eu saiba ser humilde e, nos baixos, grandiosa.
Que eu nunca esqueça de agradecer as batalhas vencidas.
Que eu não entregue os pontos quando estiver me sentindo perdida.
Que esta minha felicidade interior contagie quem não a tem.
Que meu trabalho seja fruto da dignidade e que, eu sempre me alimente dele.
Que o amor permaneça em mim.
Que eu sempre esteja contigo.
Amém!
Beatriz Napoleão (04/96)

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

Sempre Presente

Há quantos anos fazes parte do meu mundo!
Constantemente recheando minha existência com saborosos acontecimentos.
Quero tê-la em minha vida em vários momentos.
Quero tê-la em muitos dos vários momentos.
Quero tê-la ao meu lado quando uma de nós duas estiver triste, pois, a tua presença me conforta e, quero confortá-la sempre que preciso for.
Mas, quero tê-la principalmente,
Quando estivermos alegres. Minha alegria aumenta quando a vejo feliz.
Contudo, se em outros momentos não puder tê-la, mas souber que estás Vivendo intensamente, ainda assim Sentirei tua presença, e estarei satisfeita. Não apenas por seres minha filha, mas, mais que tudo, por amá-la, e seres esse ser tão encantador.
Beatriz Napoleão (27/10/08)

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

De Olhos Abertos

Amanheceu!
O amanhecer lembra o despertar.
Despertar é o mesmo que acordar.
Acordar tem duplo sentido:
Não mais dormir e,
Abrir os olhos para a vida.
Portanto, durma!
Mas, acorde sempre
Que preciso for.
Nunca esqueça de olhar ao seu redor e,
Com um pouco mais de força de vontade,
Veja seu interior!
Beatriz Napoleão (1987)

sábado, 21 de agosto de 2010

Procurando Amar

Amor, onde tu estás?
Amor, onde te encontrar?
Em quem estás,
Que eu não te sinto mais?
Vou te procurar até achar.
Não gosto de viver assim.
Vê se volta pra mim!
Viver sem amor, tenho horror!
Não dá pra entender.
Chego até a sofrer.
Posso estar na multidão,
Mesmo assim, sinto solidão.
Beatriz Napoleão (1986)

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

Lado Forte

A mulher deseja um homem que tenha um corpo forte para protegê-la.
O homem anseia por ter uma mulher de espírito forte para ampará-lo.
Beatriz Napoleão (1991)

quinta-feira, 12 de agosto de 2010

A Necessidade de Amar

Quem não precisa de amor?
O amor é vital!
Sem ele a vida fica em preto e branco.
Sem ele não há entendimento.
Sem ele não há sorriso,
Não há doação.
Quem ama é mais paciente,
Vive melhor.
Um dia de sol,
É lindo, radiante!
Um dia de chuva,
É romântico, aconchegante!
O favor é um prazer.
Quem ama tem uma vida mais feliz.
Beatriz Napoleão (21/06/09)

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

Pela Paz

Meias verdades.
Mentiras necessárias.
Palavras contidas.
Silêncio pertinente.
Discordância silenciosa.
Tudo pela paz!
Beatriz Napoleão (02/09/09)

domingo, 8 de agosto de 2010

Incerteza

O tempo!
O tempo...
Causa falhas na memória, se não ficarmos recordando.
Será que ainda lembrarei do teu rosto?
Será que lembrarei da tua voz?
Será que lembrarei do gosto do teu beijo?
Será que lembrarei do teu cheiro?
Será que lembrarei do teu carinho?
Será?
Ou será que, nunca conseguirei esquecer?!
Beatriz Napoleão (14/05/09)

quarta-feira, 4 de agosto de 2010

Talvez Seja Em Vão

Talvez seja em vão andar na contramão
Talvez seja em vão negar meu coração
Talvez seja em vão lutar com determinação
Talvez seja em vão esta canção                                

Mas eu quero encontrar o meu caminho
Não quero amar sozinho
Quero uma solução
Quero cantar a emoção
Beatriz Napoleão (2005)

segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Não Me Pergunte: Por Quê?

Não me pergunte: Por que
Alguns demoram tanto a esquecer?
Não me pergunte: Por que
Alguns demoram tanto a entender?
Não me pergunte: Por que
Alguns demoram tanto a querer?
Não me pergunte: Por quê? 

Se eu não sei porque
Alguns vivem tanto a sofrer
Se eu não sei porque
Alguns vivem tanto a se perder
Se eu não sei porque
Alguns vivem tanto a desfazer
Se eu não sei porque
Eu quero tanto ter você
Beatriz Napoleão (2005)

sábado, 31 de julho de 2010

Os Dois Lados da Vida

Meu coração aperta.
Aperta, e eu choro.
Choro ao ver um mundo triste, onde as pessoas não sabem amar.
Matam em nome de Deus. Mentem e roubam para obter mais poder.
Fazem mal ao outro por simples prazer.
Pessoas sem sensibilidade, que têm mais do que precisam
E não fazem nada por quem nada tem.
Pessoas cheias de estrelismo, sem brilho nenhum.
Meu coração aperta.
Aperta, e eu quero morrer.
Não suporto viver num mundo como este.
Não vejo perspectiva de mudança.
Peço a Deus o dom para fazer algo contra tudo que é mau, e nada consigo fazer.
E aí! Meu coração aperta, aperta tanto que parece que vai sumir.           

Meu coração expande.
Sinto Deus em mim, e isso faz com que eu me sinta feliz.
Vejo um mundo solidário, onde as pessoas amam
E dão suas vidas por um mundo melhor.
Estão sempre procurando alternativas para preservar o planeta,
Melhorar a qualidade de vida dos excluídos ou de quem quer que seja.
Pessoas que brilham mais que qualquer estrela.
Meu coração expande.
Expande, e eu quero viver, viver e viver!
Amor, solidariedade, amizade, união,...
É maravilhoso viver num mundo como este.
E aí...
Meu coração expande.
Expande tanto, que parece que vai explodir.
Sinto mil palpitações, porém a leveza é tamanha que chego a flutuar.
Beatriz Napoleão (09/95)

quarta-feira, 28 de julho de 2010

Sem Lógica

O sentimento é claro. Porém, certas vezes não tem lógica.
Beatriz Napoleão (05/09/96)

sábado, 24 de julho de 2010

Castigo ou Salvação

Devo ser castigada por amar e ser feliz,
Pois parece que, a vida para muitos é para o desamor e o sofrer.
Não me importo! Deus me salvará por isso.
Beatriz Napoleão (11/97)

quinta-feira, 22 de julho de 2010

Repetindo o Que é Bom

Repita uma música.
Repita um encontro com os amigos.
Repita palavras agradáveis, positivas.
Repita bons momentos.
Mas, por favor!
Não repita conversas desagradáveis, aquelas que nada resolvem e só deprimem,
Que afastam os amigos.
Palavras pesadas só para resolver uma situação, caso contrário siga em frente.
Devemos caminhar para frente, não ficar parados.
Beatriz Napoleão (11/97)

quarta-feira, 21 de julho de 2010

Quando Crer?

Não dizemos sempre o que sentimos.
Não sentimos sempre o que dizemos.
Palavras!
Como crê-las?
Conhecemos as pessoas por seus atos.
Observando estes saberemos "quase" sempre, se o que se diz é realidade ou não.
Beatriz Napoleão (05/09/96)

segunda-feira, 19 de julho de 2010

Fico com as Cores

Não é porque você deu mais cores a minha vida, 
Que terá o direito de me deixar no escuro.
Beatriz Napoleão (18/09/09)

sexta-feira, 16 de julho de 2010

Fotografando o Pensamento

Tenho uma grande simpatia pela escrita. 
Gosto de ver este aglomerado de letras formando palavras,
Cada uma com seu sentido, criando frases. 
É como mágica. 
É certo que, o conteúdo é que será responsável por minha contínua atenção.
Sinto prazer em escrever, letra após letra construindo algo. 
É fantástico poder registrar o que pensamos. 
A escrita é a fotografia dos nossos pensamentos. 
Não é o máximo? 
Gosto de fotografar alguns pensamentos para que futuramente possa voltar no tempo e relembrar ponto de vista, sentimentos, momentos ou situações que passaram.
Beatriz Napoleão (14/03/96)

terça-feira, 13 de julho de 2010

Mudando de Vida

Não! Eu não quero mudar minha vida.
Estou feliz com a que tenho.
Mas, se você me amar,
Aceito a mudança.
Por amor, "quase tudo" vale a pena.
Beatriz Napoleão (11/11/08)

Obsessão

O que pensar de ti?
O que saber de ti?
O que sentir por ti?
O que dizer para ti?
O que querer de ti?          

Penso que te quero
Sei que te quero
Sinto que te quero
Digo que te quero
Quero que me queiras
Beatriz Napoleão (10/12/06)

sábado, 10 de julho de 2010

Músicas Coloridas

Ah! Esta sensibilidade.
Esta sensualidade.
Este amor pela vida e pelas pessoas.
Esta explosão de sentimentos.
Isto faz minha vida ter trilha sonora,
E eu vê-la em arco-íris.
Beatriz Napoleão (abril/08)

terça-feira, 6 de julho de 2010

Crise Amorosa

Se me disseres algo, não conseguirei entender
Se me perguntares algo, não saberei responder
Se ficares calado, posso enlouquecer
Se ficares comigo, não irei querer
Mas, se fores embora, não saberei o que fazer
Beatriz Napoleão (19/06/2010)

segunda-feira, 5 de julho de 2010

VIK MUNIZ


Criatividade, sensibilidade, talento, incitante. É o trabalho de Vik Muniz. Artista plástico e fotógrafo brasileiro radicado em Nova York.
Fotografa suas esculturas, desenhos (alguns feitos de memória de fotografias conhecidas internacionalmente ou reinterpretando pintores famosos), suas próprias fotografias reformadas ou criações nas quais utiliza diversos materiais: algodão, macarrão com molho de tomate, manteiga de amendoim, geleia, fios, arame, açúcar, xarope de chocolate, poeira, entre outros.
Contrata avião de publicidade para soltar fumaça no céu, forma grandes imagens trabalhando com sucata ou esculpindo na terra, para depois fotografá-los.
É simplesmente genial!
Beatriz Napoleão 

Em exposição no Espaço Cultural Unifor, até agosto.

domingo, 4 de julho de 2010

Drama de Consciência

Oh, Pai!
Perdoai-me!
Fui educada, instruída, sou sensível, consciente, tenho inteligência, capacidade... 
E no entanto, não faço nada para pelo menos amenizar a maldade que existe no mundo.
Perdoai-me, por não saber usar minha inteligência para diminuir a fome, 
A exploração sexual de crianças, a falta de amor.
Fico indignada com tantos acontecimentos terríveis, e o que faço é tão insignificante.
Mas não quero somente o perdão. 
Quero Vossa ajuda para fazer algo que realmente faça a diferença.
Beatriz Napoleão (06/03/07)

Contestando a Beleza

O bonito me atrai, mas,
Nem tudo que me atrai é bonito.
Nem tudo que é bonito eu quero ter.
Nem sempre amo quem eu quero.
Nem tudo que é certo é o melhor.
Beatriz Napoleão (abril/2008)

sexta-feira, 2 de julho de 2010

Aquela Flor

Aquela flor que me deste ontem murchou, mas continua comigo.
Aquela flor que me deste naquele dia, perdeu a cor, mas ainda está guardada.
Aquela flor, está sequinha, mas não me desfarei dela.
Sabe aquela flor?
Pode ter perdido a beleza das flores vivas,
Poderia eu até tê-la jogado fora e a esquecido.
Mas, sempre lembrarei que, ao pegá-la pensaste em mim com carinho,
E, este carinho ficou em mim.
Não apenas por este ato,
Mas, por um somatório deles.
Carinho que se enraizou em meu coração
E jamais perderá a cor ou murchará.
Beatriz Napoleão (05/07/08)

quinta-feira, 1 de julho de 2010

Louvor

Louvo a Deus diariamente por todas as coisas boas que acontecem comigo.
E quanto as ruins?!
Peço forças para suportá-las enquanto não forem superadas.
(30/03/07)

terça-feira, 29 de junho de 2010

Amizade

Quantos amigos tenho!
Quantos ainda hei de ter? Não sei.
Se me perguntarem se os que tenho me bastam, certamente direi que sim. Mas, amigo nunca é demais. Sempre que conhecemos alguém que simpatizamos queremos que faça parte deste grupo especial.
Pessoas queridas. É tão bom tê-las no coração, em nossa vida.
De repente, alguém vai nos cativando, gradativamente vamos nos envolvendo, admirando, sentindo prazer a cada contato, descobrindo que queremos sua amizade, pois, pessoas assim fazem a diferença. Como ignorar este fato? Não podemos. Nosso círculo deve ser flexível para receber quem valha à pena.
É natural que alguns nos escapem, mas isso “nem sempre” quer dizer que estas pessoas não sejam especiais. Simplesmente não cabem em nossa amizade. Amizade é uma via de mão dupla.
É verdade que, no decorrer da vida nos deparamos com muitas decepções, desilusões, mas, será que algumas vezes não somos nós que nos iludimos, vendo amizade onde não existe? Ou às vezes, não somos muito intransigentes, radicais, não querendo perdoar o deslize que alguém cometeu? Alguém que nos ama, mas simplesmente pisou na bola, contudo, reconheceu e se arrependeu do erro cometido.
Amizade verdadeira nunca acaba. Não há tempo, distância, nem mesmo – como alguns casos – desapontamentos que, ponha fim num sentimento tão forte.
Beatriz Napoleão (20/03/06)

domingo, 20 de junho de 2010

Jogando para o Futuro




Em tempo de Copa do Mundo há de se investir mais, em busca de futuros craques.
Depois da escola, bola no pé. Cabeça e corpo saudáveis.
Jovens longe da ociosidade, da malandragem, da criminalidade.
Dividindo o dia entre o aprendizado pedagógico e esportivo.
Criando sonhos, para serem realizados.
Quem não chegar ao topo, não haverá de cair no buraco.
Beatriz Napoleão 

sábado, 19 de junho de 2010

Loucura Controlada

A loucura não bate em minha porta para entrar. Ela abre a porta para sair e se divertir. Pois, não vem de fora, e sim do meu interior. Faz parte da minha essência. Quando quer se manifestar ela sai e se exibe exteriormente. Creio que jamais ficarei louca, pois nunca a reprimo - às vezes tenho que tomar o controle para que ela não exagere deixando que eu perca a classe -, temos um ótimo relacionamento, sabemos o limite de cada uma, nos respeitamos, assim, ela se esforça para não ultrapassar o meu limite e, em contrapartida a deixo livre para não sufocá-la provocando a sua insanidade extrema.
Beatriz Napoleão (12/09/05)

Saber em Quem Confiar

A verdade é minha amiga. Entretanto, a mentira não é minha inimiga, porém ela não é confiável, pois é um tanto quanto traiçoeira. Posso me dar muito mal me aliando a ela.
Beatriz Napoleão (16/07/05)

quarta-feira, 16 de junho de 2010

Ignorando a Realidade

Há pessoas que preferem ouvir mentiras que gostariam que fossem verdades, a enfrentar o lado cruel da verdade.
Só que, pessoas assim, na maioria das vezes perdem a oportunidade de corrigir seus próprios erros e conhecer melhor os que lhe cercam.
Beatriz Napoleão (16/06/10)

domingo, 13 de junho de 2010

Concretizando a Imaginação

Um filme, uma peça teatral são filhos da imaginação, do que o homem é capaz de pensar e concretizar através da arte. Portanto, quando assistires a uma peça ou a um filme, não cobre a realidade - no pensamento tudo é permitido. Até mesmo porque na realidade existe o delírio.
Beatriz Napoleão (16/07/05)

Com as Rédeas nas Mãos

Estava lendo, Quando Nietzsche Chorou, na parte em que o Dr. Breuer e Nietzsche caminham entre árvores, conversando sobre sonhos e seus significados. Nietzsche lembrou de um sonho que teve aos seis anos, um ano depois da morte de seu pai... Bem! Achei que não era possível alguém lembrar de um sonho que teve na primeira infância. Por ironia, no mesmo instante, lembrei de um sonho que tive por volta dos meus seis a sete anos. Eu era uma borboleta e sobrevoava sobre um caixão onde jazia meu corpo. É! Assim como Nietzsche, eu nunca esqueci este sonho, apenas era uma lembrança adormecida.
Não foi um sonho fúnebre. A borboleta era bem colorida, o caixão de vidro transparente - como o da Branca de Neve - cercado de verde, pois, se encontrava no quintal de minha casa, onde havia diversas árvores frutíferas, e era um lindo dia de sol com céu azul e nuvens brancas.
O que significou este sonho?
Que eu estava mudando de vida?
Meu corpo no caixão de vidro era meu casulo?
Estava findando, morrendo minha primeira infância, onde eu era muito dependente, e a partir dali "com asas agora", eu poderia ter mais domínio em meus atos?
Será que o inconsciente de um ser ainda tão pequeno já consegue ir tão longe?
Não sei se por influência deste sonho tomei gosto pela liberdade, e me transformei numa adulta que tem o controle da própria vida.
Beatriz Napoleão (14/05/07)

sábado, 12 de junho de 2010

Limite

Na sociedade existe um consenso. A maioria determina o que é certo/errado, bonito/feio, moral ou imoral. Há um limite que podemos aceitar. Ultrapassando este reprovamos quem comete tal atitude.
O difícil é ter certeza se, nós em determinadas circunstâncias agiríamos tão diferente daqueles que reprovamos.
Até onde vai nosso limite?
Beatriz Napoleão (16/11/04)

Assumindo o Seu Ser

Não demonstre ser o que você não é, para agradar ou ser aceito por alguém.
Você irá fazer coisas que detesta, e ainda assim, não agradará a todos.
Se alguém não te aceita como és, não merece tua amizade.
É melhor ser amado verdadeiramente por poucos do que, ter muitos admiradores superficiais ou artificiais, que serão efêmeros.
Beatriz Napoleão (28/02/07)

Amor Sincero

Dizes que me ama,
Espero que seja eterno.

Não sendo,
Contento que, seja sincero.
Beatriz Napoleão (11/12/05)

Sem Presente

Há pessoas que vivem no passado, ou do futuro que nunca virá.
Beatriz Napoleão (março/2006)

sexta-feira, 11 de junho de 2010

Desperdiçando o Pensamento

Pensar, e não registrar o pensamento,
Não transformá-lo em ação
É como abrir uma torneira
E deixar a água correr para o nada.
Mas, devemos encontrar o equilíbrio
Entre o pensar e o agir.
Quem só pensa nada realiza,
Quem só age, não mede as consequências.
Beatriz Napoleão (07/09/09)

Eternamente Jovem

A juventude não quer sair de dentro de mim.
- O que permito com muito prazer.
A velhice já está lentamente tomando espaço no meu corpo,
Mas a juventude se recusa a tirar o time de campo.
Então eu sorrio e digo para a velhice:
- Ok! Vou respeitar a lei da natureza,
Pode vir se acomodando,
Desde que, não queira tomar o lugar da juventude.
Beatriz Napoleão (06/06/10)

Felicidade

Ser feliz com alguém não depende só da gente.
Mas, ser feliz sozinha está em nossas mãos.

Beatriz Napoleão (06/06/10)

Transformação

Noite não é dia
Porém, pode ser alegria
Mas, dia se faz noite
Num momento de agonia
Beatriz Napoleão (09/03/10)