terça-feira, 19 de setembro de 2017

Espalhando Amor


Hoje, numa das lembranças do Facebook vi uma postagem que compartilhei em 2011, o clipe da música Like a Stone, da banda Audioslave. Cliquei para ouvir. Fiquei ouvindo e olhando o Chris Cornell* cantar com aquela sua voz maravilhosa, e fui tomada por uma melancolia. E quanto mais eu ouvia a música, mais eu me envolvia neste sentimento. Vontade de abraçá-lo, de dar carinho, de dizer que me importava com sua dor, mas, isso já é inútil.
Isso fez eu lembrar de uma missa de cura e libertação, que fui semana passada; quando cheguei vi uma moça (ladeada por uma senhora e um rapaz), gritando o mais alto que podia em repetidas vezes, "Vocês vão pro infeeeeeerno! Vocês todos vão pro inferno!". Seus acompanhantes a seguravam, porque além de gritar, ela tentava levantar da cadeira.
Aquela cena imediatamente provocou um aperto no meu coração. Minha sobrinha que estava comigo, comentou que ela estava possuída, que era comum levarem pessoas assim para essas missas, na tentativa de serem libertadas. Sentamos distante, ela ficou fora do nosso campo de visão, mas ouvíamos bem os seus gritos. Todos que estavam ali ouviam. Só sei que, ela estando possuída ou que fosse algum distúrbio psicológico, a minha vontade era de ir até ela, abraçá-la e dizer, "Eu me importo com a tua dor! Jesus te ama e pede para eu compartilhar meu amor contigo!". Ela intercalava os gritos entre momentos de silêncio, mas cada vez que voltava a gritar, vinha esse impulso em mim, de passar uma energia de amor para ela.
Eu me sentia levitando, invadida de amor, carinho e compaixão, e em pensamento a abraçava e falava, Jesus te ama, sinta este amor, Ele vai tirá-la desse inferno! Assim, como ela nos amaldiçoava repetidas vezes, repetidas vezes, com toda a leveza do meu ser eu a abençoava. Era um sentimento antagonista; tristeza pelo estado dela, e gratidão por sentir que, eu havia recebido uma overdose dose de amor que transbordava.
Não foi a primeira vez que me senti assim, tem sido cada vez mais frequente. Quanto mais eu busco esse Amor, mais sinto necessidade de compartilhá-lo e de deixar um pouco desta energia por onde passo.

* Chris Cornell, 52 anos - vocalista da banda Audioslave. Sofria de depressão. Suicidou-se em 18/05 deste.

- BeatrizNapoleão -

sexta-feira, 1 de setembro de 2017

Mãe das Palavras

Imagem: Google
Não! Não escrevo para te agradar, enganar ou te iludir
Muito menos para te ganhar ou perder
Nem mesmo para falar a verdade ou mentir
Às vezes, até pode ser para alguém me entender
Outras, para criar entretenimento
 Soltando o sentimento
Entretanto, há momentos que, escrevo porque as palavras me procuram
Sussurram em meus ouvidos, formando frases que clamam para existir
Da mesma forma que um espírito busca um útero que lhe dê um corpo
Algumas palavras me escolhem para formar um texto
Assim, são geradas nos meus ouvidos, 
Alimentadas e organizadas em minha mente 
E nascem pela minha mão
- BeatrizNapoleão -

quinta-feira, 31 de agosto de 2017

Sem Desafio

Atalhos para mais rápido chegar
Retalhos para enfeitar
Baralhos em um jogo a desafiar

Tenho pressa de viver
Enfeito o meu querer
Mas não desafie o meu ser

Se te incluo na minha vida
Espero por ti ser querida
Não devo ser esquecida

Não irei continuar
Se fingires me esquecer
Como numa vida aborrecida
- BeatizNapoleão -

quarta-feira, 23 de agosto de 2017

Rendida

Imagem: Google
Tua boca tem gosto bom
Teu corpo cheiro que gosto
Teus braços proteção
As mãos habilidade 
Teu jeito atração
O sorriso felicidade
A voz melodia
Teus olhos luz
A mente seduz
Teu amor fantasia

Só você a mim fascina
Como se eu fosse uma menina
- BeatrizNapoleão -

quinta-feira, 10 de agosto de 2017

Livre para Amar

Imagem: Google
A ideia de ser amante de alguém não me agrada. Falo de amante no sentido de ser a outra, não a amante que ama e que é amada.
Amo a liberdade! Poder sair quando quero e para onde quero. Falar o que sinto sem constrangimento. Detesto ter que sufocar meus sentimentos. O que cultivo dentro de mim é muito lindo, não acho justo ficar escondido, guardado em mim, isso deve ser feito com sentimentos ruins, para não contaminar ninguém, os bons espalham leveza até em quem não os têm.
Ao estar caída por alguém, mesmo quando estou em público gosto do olhar apaixonado, ignorando o mundo ao redor, contudo, se em público estou os beijos devem ser suaves, que não chamem atenção. 
Gosto de abraço colado como se não fosse mais soltar. Gosto de andar de mãos dadas para não perder a sintonia. Gosto de rir de bobagens que deixam leve o coração. Gosto de antes de dormir ficar fazendo e recebendo carinho até o sono chegar, mesmo que esse carinho seja apenas ficar juntinho. Gosto de ver quem amo, todo dia, e o dia que não for possível, que fique de boa conversa ao telefone. Detesto cobranças, assim como não gosto de cobrar, entretanto, em qualquer relacionamento, é fundamental que se diga o que incomoda ou machuca, mas que seja dito em bom tom, para não desafinar a ligação afetiva.
Sendo assim, não posso me relacionar com alguém que não seja livre para amar.
BeatrizNapoleão

sábado, 5 de agosto de 2017

O Adeus do Pérola Negra

imagens: Internet
*07/01/1951 +04/08/2017

Ninguém matou Estácio
Mas Luiz morreu
Sem mais Melodia
Pérola Negra se foi

Usou suas sete vidas
Cedo demais

A morte não é só cega
Para calar essa voz
Deve ser surda também
(Beatriz Napoleão)

O por do sol vai renovar 
Mas não vai brilhar de novo o seu sorriso
Porém o libertou da areia preta e do 
Arco-íris cor de sangue, cor de sangue, cor de sangue
Super Carioca, super ele, super ele ...
No coração do Brasil

Na fada com varinha virou condão
De passo a passo, passou

Se alguém perguntar por ele
Diz que foi por aí
Levando um violão debaixo do braço
Se quiserem saber se ele volta não diga que sim

Até a juventude transviada e
O auxílio luxuoso de um pandeiro perderam o som
Nascimento vida e morte quem diria
Agora ele se transformou
Hoje é dia de chorar

Holliday é um dia de paz

Vá em paz, Luiz Melodia!

segunda-feira, 31 de julho de 2017

Limite do Amor

O amor quando apanha vai perdendo suas forças
Se apanha em demasiado entra em coma
Podendo chegar a óbito.
- BeatrizNapoleão -

Acreditar ou Sentir

Se existem algumas distâncias entre nós a maior delas é a maneira de Amar.
Talvez você nem acredite mais no amor, o que lhe deixa em dúvida do próprio sentimento, enquanto eu, não desisto deste forte amor que habita em mim, portanto, não é questão de acreditar, e sim de sentir.
- BeatrizNapoleão -

Amor e Equilíbrio


(Imagem: Google)
É que tenho muito amor dentro de mim,
E quando alguém me conquista e toca meu coração, ele (amor) se revela como uma criança: impulsivo, compulsivo, sincero, carinhoso. Mas, assim como uma criança, é sensível, e precisa de atenção, carinho e verdade. No entanto, sou adulta e equilibrada, há casos, que prefiro controlar meus sentimentos, o que em algum momento pode causar desequilíbrio.
- BeatrizNapoleão -

Palavras ao Vento

(Imagem: Google)
Às vezes é melhor engolir suas próprias palavras e transformá-las em silêncio, mesmo arriscando se engasgar, do que falar para quem não quer e não vai lhe ouvir, lhe deixando com um enorme vazio ou mais pesada do que quando elas apertavam o seu coração, e arrependida de ter tirado o que pertencia a você para jogar ao vento sem nenhum efeito. Palavras devem dar sentido a algo, quando isso acontece, elas saem da gente deixando uma sensação de bem estar, ou pelo menos, um pouco de leveza, caso contrário, vira abismo.
- BeatrizNapoleão -