sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Inspiração Pueril

Onde está minha inspiração?
Onde andam as palavras que costumam brincar de roda em meus pensamentos?
Por que mudaram a brincadeira para esconde-esconde?
E ainda apagaram a luz!
Devo ignorá-las!
Não vou entrar nessa brincadeira.
Ficarei quieta,
Até que cansem de se esconder,
E venham todas novamente de mãos dadas a rodar na claridade.
Beatriz Napoleão 

terça-feira, 27 de setembro de 2011

Ficar a lamentar é estagnar

Nem sempre a vida é feita de
Amores e sabores,
Encontros e canções,
Harmonia e beleza,
Alegria e fantasia.
Contudo, nos momentos em que ela esteja em
Desamores e amarguras,
Desencontros e gritos,
Caos e destruição,
Tristeza e desilusão,
Não lamente sua vida;
Faça algo para que ela valha a pena!
Beatriz Napoleão (06/07/10)

terça-feira, 20 de setembro de 2011

Enquanto Puder

Não sei onde vou chegar
Não sei até quando vou caminhar
Quero um mundo que possa me divertir
Quero viver com equilíbrio e saber decidir
O amor é a mão
A raiva a contramão.   

Distância do ruim
Os bons perto de mim
Longe da tristeza
Busco alegria e gentileza

O que importa é não parar
E saber como lutar
Beatriz Napoleão 

domingo, 11 de setembro de 2011

Amor Eterno

Amei tanto!
Pensava que esse amor seria eterno.
Mas ainda amo!
Então, nisso devo estar certa, ele será eterno!
O que eu não esperava é que,
Ele mudasse de endereço e de comportamento.      
     
Amor precisa ser amado.
Precisa de atenção,
De entendimento,
De carinho.
Amor não existe sozinho.
Se fica só, procura outro caminho.
Beatriz Napoleão                 

quarta-feira, 7 de setembro de 2011

Meu Brasil

Brasil!
Rico,
Amado,
Generoso,
Pacífico,
Cosmopolita,
Produtor,
Acolhedor,
Tropical.
Brasil continental.
Do verde, amarelo, azul e branco,
Preto, mulato, caboclo, índio.
De matas e praias belas.
Do samba e da bossa nova.
Do futebol, pentacampeão.
Brasil do carnaval e suas escolas de samba.
De Cecília Meireles, Drummond e Quintana.
Brasil de Machado de Assis a Paulo Coelho - que alguém contradiz.
Brasil nas alturas com Niemeyer na arquitetura.
Brasil do Senna em alta velocidade, que nos dava felicidade.
Brasil de Pelé com a bola no pé,
De Guga nas quadras de tênis,
Cielo e Gustavo em piscinas internacionais.
Brasil do palco com suas damas Fernanda Montenegro e Bibi Ferreira.
Brasil do cinema de Valter Salles e Fernando Meirelles.
Brasil do humor de Chico Anísio a Renato Aragão.
De Portinari, Tarsila e Di Cavalcante, imortalizados em suas telas.
Pitanguy reparando imperfeições e prolongando a juventude.
Villa Lobos, Chico Buarque, Vinícius e Tom Jobim, dando ritmo em nossas vidas.
Brasil altruísta nas mãos de Irmã Dulce.
Citando apenas alguns dos tantos talentos e benfeitores brasileiros.
Brasil de José e Maria que trabalham noite e dia.
Dos privilegiados e dos explorados.
Brasil independente ajuda a tua gente!
Brasil do futuro, queremos teu presente.
Beatriz Napoleão 

terça-feira, 6 de setembro de 2011

Mau Humor a Sete Chaves

Talvez não me conheças tão bem.
Talvez não conheças meu mau humor.
Quem sabe só te apresentei meu bom humor e o humor equilibrado.
Pois confesso que, meu mau humor fica guardado, num lugar bem escondido e pequenino. Tão escondido que é difícil utilizá-lo - só se manifestando quando é muito provocado. Quando ele se manifesta e resolvo enfrentá-lo, tenho que pegar fôlego pra seguir até achá-lo. Ao achar o seu cantinho, paro ali juntinho dele, só nós dois entrelaçados, numa briga silenciosa me deixando tão cansada, que desisto de mostrá-lo.
Beatriz Napoleão 

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Não Cabe Mais

Você cabia nas minhas noites,
Você cabia nos meus dias.
Você cabia nas minhas dores,
Você cabia nas minhas alegrias.
  
As minhas dores você curava.
Nas alegrias, a melhor companhia. 
   
E agora, o que aconteceu?
Será que eu cresci ou você encolheu?
Beatriz Napoleão