quinta-feira, 31 de maio de 2012

Insônia

Uma e meia da manhã...
Hora de dormir
Para a cama devo ir
Acordarei às 7h

Então, boa noite!
Antes tenho que orar
Para um leve sonhar
Às 7

Tento dormir
Mesmo sem conseguir
Mais uma oração
Para a paz no coração
Às 7

Pensando em alguém
Espero acordar bem
Porém, tenho que dizer
Lembrei foi de você
Às 7

Vem os pensamentos
Te encontro nos tormentos
Fico inquieta
Não esqueço a meta
Às 7

Quero teu abraço
Não sei o que faço
Sinto o teu beijo
Mas logo o deixo
Às 7

Entre o sonho e a realidade
Não escondo a verdade
Dormir, quem me dera!
Já passou uma era
Às 7

Cinco horas da manhã
Já não sou mais tua fã
Levanto e escrevo o que está na cabeça
Para que eu não esqueça
Às 7

Bem que eu queria
Que não fosse dia!
Hora de levantar!
Não tem como evitar
São 7
Beatriz Napoleão

quarta-feira, 30 de maio de 2012

Amor é Alegria

"Porque um grande amor só é bem grande se for triste"
Descordo!
Aceito bem esta frase em poesia. Pois ela tem beleza na dor e na alegria do amor!
Mas, na minha vida um amor é grande pela cumplicidade, intensidade, intimidade, bom humor, carinho, respeito, entendimento, atração, tesão, que tenho com a pessoa amada.
Tristeza no amor sugere: desentendimento, egoísmo. E desentendimento e egoísmo sugerem: término, não grandeza.
Confundimos amor com tristeza, quando deixamos ele abalar, quando temos medo de perdê-lo. Confundimos amor com tristeza, porque alguns amam sozinhos. Confundimos amor com tristeza, porque raramente há amor que não tenha seu momento de fraqueza. Confundimos amor com tristeza, porque por maior que seja ele, não há garantia para que seja eterno, e se ele acaba, a tristeza vem, mas não é o amor que nos deixa triste, e sim, o seu fim.
Beatriz Napoleão

quarta-feira, 23 de maio de 2012

Tenho Pressa!

Já não gostava de muitos programas de televisão. Já não gostava de umas tantas músicas de sucesso efêmero. Já não gostava de assistir uns tipos de filmes. Já não gostava da futilidade de certas conversas. Já não gostava de brincadeiras sem graça, que só é engraçada para quem as faz. Já não gostava de um determinado tipo de gente. Já não gostava de tantas coisas...
Não que eu seja uma pessoa difícil de gostar, pelo contrário! Gosto muito de muitas coisas. E é por isso mesmo que me incomodo tanto em perder tempo com o que para mim é feio ou desagradável. Tanta coisa boa para ver, ouvir, assistir, ler, sentir, fazer, VIVER! Por que perder meu precioso tempo com o que para mim é inútil?

E depois que entrei nos 50 anos, passei a ficar irritada com essas "diversões invertidas", o que chamarei de agora em diante de coisas "indivertidas".

Cada vez que estou vivendo indivertidas, deixo de viver tantas coisas maravilhosas... Há programas de TV divertidos sem que me deixe imbecilizada, outros educativos, outros culturais. Há tantos livros que me dão lição de vida, me fazem questionar, crescer, aprender. Há músicas que me deixam tão calma que me sinto levitando - uma paz semelhante a de uma oração -, outras aceleram meu coração a mil por hora, como uma paixão, e me transmitem uma felicidade como a tal. Há filmes que me fazem viver milhares de vidas e lugares, ou simplesmente sorrir. Há brincadeiras que todos se divertem e me deixam tão descontraída que chego a esquecer que tenho algum problema. Há pessoas que podem ser cultas ou analfabetas, ricas ou pobres, mas têm sabedoria, têm bom senso, bom coração, sabem ser verdadeiras, dão valor à amizade, sabem respeitar o próximo.

Tenho pressa, pois, não sei quando vou partir e, ainda que eu viva mais 53 anos, por mais que eu corra, por mais que eu tente preencher meu tempo com tudo que eu gosto, morrerei sem conhecer, aprender e viver tudo que gostaria. Então, decidi que não irei desperdiçar meu tempo com o que não gosto.
Beatriz Napoleão

*Minha inspiração para escrever este texto surgiu enquanto eu escutava 
The Piano Guys - Steven Nelson (violoncelo) e Jon Schmidt (piano)

terça-feira, 15 de maio de 2012

Valorizando os bons momentos

Enxaqueca, labirintite, mal estar, fibromialgia... Palavras que meu corpo conhece bem suas ações.
Se você tem uma vida semelhante, não deixe que isso tire sua alegria de viver. É natural que não celebremos momentos como esses, mas também não precisamos nos deprimir.

É fato que, quando estou em uma crise, minha vida se transforma. Fico mais lenta, menos criativa, dependendo do nível dela não consigo sair da cama. É o meu momento céu de tempestade.
O melhor a fazer é respeitar seus limites; repouse, tome os medicamentos necessários, e aguarde melhorar. Quando passar, não fique perdendo tempo maldizendo o que ocorreu, retome o controle de sua vida, e passe a perceber e a dar mais valor a pequenas coisas boas que lhe cercam, assim, viverá muitos momentos céu de primavera.
Beatriz Napoleão

segunda-feira, 14 de maio de 2012

Difamação

Pessoas que não têm integridade brincam com a integridade das que têm. Criam estórias denegrindo a outra e, afirmam ser verdade. Se divertem com suas mentiras, felizes por "achar" que conseguiram rebaixar à sua laia àquelas que não perdem o calibre. "Achar", porque, há quem possa até ser difamada, mas jamais perderá seu caráter.
Por isso, tenha cuidado com o que escuta! Você pode passar para frente algo que nunca aconteceu, por acreditar que aquela pessoa "amiga" falou a verdade, e com isso, quem sabe, contribuir para destruir a vida de alguém injustamente.
Beatriz Napoleão

domingo, 13 de maio de 2012

Maior Amor

Maio é teu mês
Melodia é tua voz
Mansidão é teu coração
Mistério é tua força
Maleável é tua atitude
Muito é teu amor
Marcante é teu ser
Maravilha é te ter
MÃE
Beatriz Napoleão

segunda-feira, 7 de maio de 2012

No Ponto Certo

Não me incomodo se alguém fala muito
Mas detesto quando alguém fala demais e não sabe escutar

Gargalhadas nos remetem a alegria
Mas perdem o valor quando são de deboche

Abraço é um carinho aconchegante
Mas é semelhante a uma camisa de força quando vem com falsidade

Uma boa crítica nos ajuda a crescer
Mas quando é venenosa pode nos deprimir

Família tem direito a dar palpite na sua vida
Mas jamais invadir sua privacidade

Você pode conhecer profundamente alguém
Mas poderá se surpreender até com você mesmo

Saber ser criança quando adulto é se manter jovem
Mas ser infantil é razão de estupidez

Podemos nos esforçar para sempre agir da melhor maneira
Mas como ser humano em algum momento haverá um tropeço

O verdadeiro amigo é para todas as horas
Mas saiba que quando você precisar do ombro dele,
Ele pode estar precisando do seu
Beatriz Napoleão