sábado, 16 de outubro de 2010

Palavras Divinas

Sim, eu tenho poder para mover montanhas, abrir passagens no mar, inundar o mundo...
  
Posso causar tsunamis, terremotos, enviar furacões... Mas não é assim que ajo! Não me agrada optar pela força do castigo.
  
Não quero alguém fazendo ou deixando de fazer algo porque posso castigá-lo, por temer o inferno. Não percam tempo pensando ou falando do inferno. Esqueçam o inferno! Se não houver divulgação dele, ele vai perdendo o status e acabará no ostracismo.
  
Canalizem suas energias, pensamentos, palavras e ações para o amor. Se o amor imperar, como o inferno vai “sobreviver”? Quero a força do Amor!
  
O que faço é: unir famílias, amigos, raças, credos, nações; curar doenças, corações sem esperança; afastar o mal da humanidade. É aí que estou. Mas não faço nem farei nada que pareça uma mágica. Não sou ilusionista. Sou o Amor, o Alimento, a Esperança, sou a Vida! Concretizo-me neles. Vocês são um pouco de mim, fazem parte de mim. Eu sou o todo. Sou a união do Universo. Ajo através da natureza e de vocês, e espero que cada um faça algo para melhorar o mundo onde vivem. Quanto mais fizerem, mais benefícios terão. Posso não castigar, mas planejei um Universo interligado, onde tudo tem um retorno. Portanto, quem ferra, será ferrado.
  
Jesus veio à Terra para dar meu exemplo, divulgar meus Mandamentos, mostrar o que o Amor é capaz. Muitos aprendem o Livro inteiro, verbalizam este exemplo, mas pouco fazem na hora de agir, se preocupando mais em fiscalizar se o próximo está agindo de acordo com estes ensinamentos, do que com seus próprios atos. Ora, ora! Dêem o exemplo! Não foi assim que Cristo fez!? Esta é a melhor maneira de ensinar.
    
Não fiquem se punindo por suas falhas. Mas, não fechem os olhos tentando não enxergar seus erros, seus deslizes. Olhem para eles para evitar repetições.
  
Quero Amor! Mas, amor com “A” maiúsculo.
  
- Amor. Amor. Amor... Era a palavra que ecoava repetidamente quando acordei.
Beatriz Napoleão (13/10/10)