domingo, 14 de agosto de 2011

Quem me assumia

Quero agradecer a Deus por ter tido na minha vida uma pessoa que:
Nunca levantou a voz para mim;
Na minha primeira infância era quem eu chamava, quando acordava tarde da noite e sentia medo por estar sozinha num quarto escuro. Eu ouvia sua voz dizer: - Venha pra cá!
E quando eu lá chegava, pulava numa rede que estava a minha espera. E ali ficava, deitada, sentindo-me segura, enquanto era embalada até dormir novamente;
De manhã cedo, ia me acordar com massagem nas pernas, para que eu espertasse com disposição para ir à aula (isso perdurou até minha adolescência);
Tinha hábito de me levar no colo para o banheiro - eu sempre acordava sonolenta, mal andava -, quando eu percebia, minha escova de dente já estava com o creme dental;
Era quem preparava meu café da manhã, do jeito que eu gostava;
Procurava satisfazer meus desejos, dentro do possível;
Desde as minhas primeiras lembranças esteve sempre a me dar amor e carinho;
É uma das mais responsáveis pela felicidade que sinto até hoje.
Esta pessoa era o meu PAI.
  
E assim foi! Quando ele não estava no trabalho, minha mãe deixava que me assumisse. Talvez por ela estar cansada de tanto criar filhos, ou, talvez por saber que isso o dava muito prazer, ou quem sabe, por não ter escolha!
Por isso agradeço a Deus, e a ti também, por ter se doado tanto a mim!
E, onde você estiver, feliz Dia dos Pais, meu pai amado!
Beatriz Napoleão 13/08/11