terça-feira, 22 de outubro de 2013

Liberdade

Deixe-me livre!
Presa minha energia enfraquece e eu me tranco mais ainda nessa prisão. O meu amor comigo permanece não conseguindo chegar a lugar algum. Triste, desanimado, introspectivo, ele não se aventura, não compartilha. Observa a vida sem conseguir ir até alguém ou mesmo permitir que alguém nele viva.
Deixe-me livre!
Livre eu me encho de amor, tanto, que, passo a amar tudo que amável é, e a valorizar e amar cada vez mais quem não me tirou a liberdade.
Livre, minha energia reluz clareando até mesmo os obscuros.
BeatrizNapoleão