quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

Cores Que Me Cercam

Lá acima, além da janela, ele passa com dezenas de pessoas, penetrando no branco que antecede o azul.
 
Aqui, abaixo da caneta que desliza, o azul se mistura compondo o branco.
    
Na cabeça da menina, uma mescla de caramelo com raios de sol, que o vento espalha suavemente brincando em seu rosto.
    
Aqueles pés, ora pisam no preto, ora no branco.
   
Nas minhas unhas, o vermelho plagia o líquido vital.

Um casal tão juntinho, parece leite com chocolate que permanecem heterogêneos.
    
Por trás das grades de ferro, observo revoltada, as asas verdes e amarelas num balé frustrado a sonhar com um voou.

Ao te olhar vejo um azul do mais belo céu com um buraco negro. 
Beatriz Napoleão (02/02/11)