quinta-feira, 28 de junho de 2012

Bendita Efemeridade!

Em meu quarto, quando eu passava ao lado da cama para ir até o armário, bati meu pé com entusiasmo na maçaneta da gaveta (minha cama tem duas gavetas de cada lado, e as maçanetas têm uma pontinha "safada").
Aaaaaaai! Machuquei em cima do osso que fica logo abaixo do tornozelo.
A pancada causou uma dor tão grande que me joguei na cama. Torcia-me de um lado para o outro mordendo o travesseiro para que ninguém ouvisse meus gemidos - é uma dor que vai ao extremo, chegando ao clímax, mas, por sorte sua ação é muito rápida, o que me lembrou o gozo. Pensar isso me fez rir. Aonde chega meu humor! Sempre procurando alguma alternativa para aliviar minhas dores. Em pleno desespero da dor, ria. Torto, risos entre caretas, mas ria (impossível rir descontraidamente num momento desse).
É um gozo ao contrário, enquanto um dá prazer, a outra desespera. Ainda bem que são efêmeros, pois nos dois casos a intensidade é tamanha que eu desmaiaria se durassem mais que um minuto.
BeatrizNapoleão