quarta-feira, 11 de julho de 2012

Quando a solidão é um fardo

Algumas pessoas não sabem lidar com a solidão. Colocaram na cabeça que ela sempre foi e sempre será inteiramente vilã. E quando estão envolvidas com sua presença é um deus nos acuda. Deixam-se dominar pelo seu lado cruel, aquele que vem acompanhado de sua amiga e nossa inimiga, depressão. Não sabem que, na maioria das vezes, podem neutralizar esse lado, se aliando a ela e aproveitando os momentos em que ela se faz presente para relaxar, se conhecer melhor, orar, evoluir, criar...
Umas ficam sensíveis, fragilizadas. Outras, com medo de demonstrar fraqueza, agem com rispidez, aspereza. Cada uma reage de acordo com sua personalidade, mas em todos os casos pode haver depressão.
As do tipo mais depressivas evitam qualquer contato, deixam de sair de casa, fogem até do telefone ou da internet, e a cada dia ficam mais sozinhas. Virando um círculo vicioso, já não sabendo mais se a depressão é porque estão só, ou se estão só devido a depressão.
As sensíveis, até procuram se relacionar, mas por tudo se magoam, ficando tristes e chorosas. Muitas vezes se culpam por tudo que acontece.
As ásperas são as mais difíceis de lidar. Pois, fazem de tudo para se afastar da danada, mas da maneira que agem acabam afastando quem poderia lhes tirar dela. Em alguns momentos procuram ser carinhosas e alegres, mas por qualquer mal entendido, vão logo exibindo suas garras e arranhando quem julga ter lhe atacado. Normalmente culpam todos por tudo que acontece de errado na sua vida. É o tipo que, pode até ser casada e ter filhos, mas, inevitavelmente, mesmo esses, não suportarão a pressão e sempre que possível irão evitá-la. Pessoas assim, conseguem brigar até pelo Facebook.
Bem! Isto já é assunto para outra crônica.
BeatrizNapoleão