quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

Lembranças Camufladas

Longe do meu corpo,
Dentro da minha cabeça e do meu coração.
Não quero mais te ter,
Mas ainda desfruto tua paixão.
Vivida com tanta ternura,
Dita uma via eterna.
Mas os atos desviaram nosso caminho,
Estreitando tanto que,
De auto-estrada virou secundária.
Nela sigo sozinha
Pois, já não dá nós dois.
Dificilmente olho o retrovisor.
Seguindo em frente gosto de ter lembranças,
Mas, estas são camufladas.
Sinto o amor,
Mas ignoro o autor.
Beatriz Napoleão