quarta-feira, 1 de junho de 2011

O Que Prefiro

É muito bom viver num mundo em harmonia. Infelizmente nem tudo é assim. Sinto tristeza ao ver qualquer espécie de vida, seja ela animal ou vegetal, fora de sua sintonia, impedida de seguir seu curso. Pior ainda é saber que há quem seja o responsável por esse impedimento fazendo crueldades unicamente para seu próprio benefício ou de outrem. Uma vida só deve ser sacrificada por um “bem maior”.

Não! Eu não quero ouvir o assum preto cantando mais bonito. Se for para ele cantar de tristeza por ter seus olhos furados e estar preso numa gaiola, prefiro que ele siga seu voo admirando a beleza da natureza e cantando a liberdade. Ainda que esse canto não chegue até meus ouvidos.

Não! Eu não quero ver um elefante de circo sentando numa mesinha, fazendo coisas incríveis, e por trás disso ele é furado por um objeto pontiagudo, alertando-o das chicotadas quando não faz o que se pede, enquanto ele está acorrentado. Prefiro saber que ele vive com sua manada. Ainda que eu nunca tenha oportunidade de vê-lo em seu habitat.

Não! Eu não quero ver um touro valente, cheio de vigor, no meio de uma arena, frente a frente a um homem elegante, com uma bela vestimenta e uma capa na mão que esconde o objeto de destruição, num duelo de cartas marcadas onde raramente o touro é o vencedor, e que é aguardo o seu trágico final. Melhor seria se não houvesse espadas, apenas um balé com uma dupla rival. Este sim, Eu pagaria para ver!
Beatriz Napoleão